Curta a página do QLA no Facebook

25 de jul de 2014

COMO TER UM NAMORO ABENÇOADO POR DEUS

Hoje a maioria dos jovens evangélicos se pergunta: “Como posso ter um namoro abençoado por Deus?” Porém, muitas não se perguntam: “Que passos eu devo dar em direção a esse objetivo?”.
Três passos básicos que ajudarão a obter a benção do Senhor sobre o namoro:
• Ter um namoro de acordo com os princípios e propósitos de Deus:
- Fazer a vontade de Deus dentro de um namoro com certeza atrairá suas bênçãos sobre o casal. Portanto, aqueles que querem ter um namoro abençoado por Deus precisam obedecer aos princípios e propósitos d’Ele para o namoro, e também ter seus valores, alvos e comportamentos baseados nos conceitos do Senhor. 
Alguns dos princípios e propósitos contidos na bíblia:

- Não se colocar em julgo desigual (2 Co 6:14-18)

- A santificação (1Ts 4:3)

- Obediência e honra aos pais (Ex. 20:12)

- Namoro baseado no amor e não na paixão (1 co 13. 4-8)

• Ter um propósito bem definido:

- É natural que em todas as nossas atividades tenhamos um propósito que nos mova para o alvo. Mas vocês já perceberam que, quando os fins não estão bem definidos, a execução dos meios não traz realização e alegria? É o que ocorre com o namoro também! Se o nosso namoro não está imbuído de um propósito correto, o relacionamento a dois há de sofrer as conseqüências.
Portando para um namoro ser abençoado por Deus, precisa ter um propósito específico e este propósito deve ser o compromisso, para que com ele se chegue ao casamento. Pode até ser que o namoro não chegue ao casamento, mas o casal começou o namoro de modo correto, pensou se modo correto, fez tudo por fé ou seja agradou a Deus.

PARA UM NAMORO SER ABENÇOADO POR DEUS, É NECESSÁRIO A CONSCIÊNCIA DE COMPROMISSO E FIDELIDADE.
NAMORO É O AMOR QUE É REGADO PELA FÉ, DE PESSOAS QUE NÃO QUEREM DESAGRADAR A DEUS!

• Priorizar o namoro, colocando-o no lugar certo!
- A ordem de prioridades para um jovem cristão
1º) Deus
2º) A família
3º) A igreja
4º) O trabalho (vida profissional ou estudantil)
5º) O namoro

Existem jovens que INVERTEM por completo esta ordem, e conseguem desagradar a Deus, retardando a liberação do milagre, da benção, dos Dons, etc.
Cristo deve estar no centro, e todas as nossas prioridades distribuídas ao redor d’Ele de forma equilibrada. HÁ JOVENS QUE SÓ PENSAM EM NAMORAR, NAMORAR, NAMORAR!!. Parece que não existem outras prioridades, o negócio é namorar. Esquecem das finanças, da família, do trabalho, da escola ou faculdade e de Deus nem se fala.
Precisamos entender que o namoro é uma fase de conhecimento e o início de uma adaptação entre duas pessoas, e é um envolvimento sentimental e emocional somente. Não há porque valorizá-lo de forma a esquecer de outras prioridades. Quando o seu casamento chegar, aí sim, sua família estará em 2º lugar como prioridade.
Precisamos ser jovens que agradem a Deus, em todos os momentos e situações, lembrem-se Deus é onisciente, onipresente e onipotente. Ele sabe de todas as coisas, mesmo aquelas que nós pensamos que ninguém sabe. Como nós não desejamos decepcionar nossos pais, também devemos ansiar em somente agradar nosso Pai celeste, até porque quando precisamos de um milagre é n’Ele em quem apoiamos e pedimos ajuda.

14 de jul de 2014

Entendendo um pouco mais sobre a Misericórdia de Deus


Mas Deus, que é riquíssimo em misericórdia, pelo seu muito amor com que nos amou
Estando nós ainda mortos em nossas ofensas, nos vivificou juntamente com Cristo. 
Efésios 2:4-5

O significado da palavra no Hebraico

Misericórdia – A substantivo - hesed (transliterado) “benignidade, amor firme, graça, misericórdia, fidelidade, bondade, devoção”.
         É identificado três significados básicos, que interagem: “força”, “firmeza” e “amor”. A palavra diz respeito principalmente aos direitos e obrigações mútuos e recíprocos entre as partes (Jeová e Israel). O termo hesed, implica envolvimento e compromisso pessoais numa relação além das normas da lei.

O significado no Grego:

1.     Eleos; presume necessidade por parte de quem a recebe, e recursos adequados para satisfazer a necessidade daquele que a mostra. (1) Deus, rico em misericórdia (Ef 2.4). Proveu salvação para toda a humanidade (Tt 3.5) para Judeus (Lc 1.72), para gentios (Rm 15.9) aos que o temem (Lc 1.50)

MISERICÓRDIA é bondade, amor e graça de Deus para com o ser humano, manifestos no perdão, na proteção, no auxílio, no atendimento a súplicas. Essa disposição de Deus se manifestou desde a criação e acompanhará o Seu povo até o final dos tempos.

        O estudo teológico traz a misericórdia de Deus como um de Seus atributos morais, que é gratuita... “as causas de não sermos consumidos...” Lm 3.22.
         A Graça vê os pecadores condenados em suas culpas, já a misericórdia de Deus, os vê miseráveis e necessitados.

As misericórdias do Senhor são constantemente objetos de desejo todas as pessoas! Porém nenhum homem merece a misericórdia de Deus. Nenhum homem pode reclamar a misericórdia de Deus por mérito. As Escrituras concluem: “... pois todos pecaram e carecem da glória de Deus” (Romanos 3:23).

POR MEIO DA MISERICÓRDIA DO SENHOR FOMOS ALCANÇADOS, SALVOS E JUSTIFICADOS.

Porque serei misericordioso para com suas iniquidades. E de seus pecados e de suas prevaricações não me lembrarei mais. Hebreus 8:12

Você percebe por que precisamos apreciar a misericórdia de Deus? O homem não tinha esperança de nada além da culpa do pecado. Ele era impotente para livrar-se do pecado porque não podia resistir às tentações do diabo.
“Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco, pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores. Logo, muito mais agora, sendo justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira” (Romanos 5:8-9).

Observe, porém, que a misericórdia tem um sentido negativo. Deixar de punir ao culpado é misericórdia. Porém o pecado não ficou sem punição. Cristo sofreu em nosso lugar todo o castigo que nos traz a paz – Isaías 53.5

Se conseguirmos entender isso, poderemos viver uma vida que agrade a Deus. Não basta ser salvo por Cristo, é necessário que venhamos a estar dispostos a não pecar. Sabemos que estamos sujeitos a pecar, mas existe a diferença entre o pecado constante e o involuntário.
Isso não quer dizer que devemos abusar das infinitas misericórdias do Senhor, para pecar, mas entender que mesmo se involuntariamente pecarmos temos sempre um advogado, ou seja, um intercessor, e um Deus perdoador a nos socorrer.
Vai e não peques mais significa Jesus dizendo “seja como Eu” e ande como eu ando.

Conservai-vos a vós mesmos no amor de Deus, esperando a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo para a vida eterna. Judas 1:21

SUPLIQUE COM GRATIDÃO PELAS MISERICÓRDIAS DO SENHOR

Não retenhas de mim, SENHOR, as tuas misericórdias; guardem-me sempre a tua graça e a tua verdade. Salmos 40.11 (ara)

Não retenhas de mim...as tuas misericórdias. O salmista fora o recebedor das bênçãos de Deus, de Seu amor constante, de Sua salvação (livramento) e de Seus ensinamentos. Portanto ele agora finaliza a parte de louvor do salmo com um apelo final de que as coisas de que desfrutara no passado pudessem acompanhá-lo até o fim de sua carreira. Ele tinha recebido misericórdia e continuava carente de misericórdia. Ele fora alvo do amor constante de Deus e sempre precisaria desse tipo de amor. Ele tinha recebido a verdade, conforme ensinada na lei, e jamais prescindiria da verdade. O bem recebido no passado precisava perdurar. O homem orava para que não houvesse interrupção dessas bênçãos ao longo do caminho. Ele queria um futuro tão brilhante quanto fora o seu passado. Ele tinha visto a mão de Deus operando em seu favor e sempre necessitaria da intervenção divina em sua vida. No passado, ele dependera do Ser divino e continuaria sempre sendo dependente. (ati)

CONFIEMOS EM DEUS E ALCANÇAREMOS MISERICÓRDIA

Cheguemos, pois, com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno.
Hebreus 4.16 (arc)


Cheguemos pois com confiança ao trono da graça. Porque Cristo se compadece das nossas fraquezas (v.15), podemos chegar com confiança ao trono celestial, sabendo que nossas orações e petições são bem acolhidas e ouvidas por nosso Pai celestial (cf. 10.19,20). É chamado o “trono da graça”, porque dele fluem o amor, o socorro, a misericórdia, o perdão, o poder divino, o batismo com o Espírito Santo, os dons espirituais, o fruto do Espírito Santo e tudo de que precisamos em todas as circunstâncias. Uma das maiores bênçãos da salvação é que Cristo, agora, é nosso sumo sacerdote, conduzindo-nos até a sua presença pessoal, de modo que sempre podemos buscar a ajuda de que carecemos. 

Há um bálsamo em depender do Senhor,
Danilo Dias.

Deixe o seu comentário